TRICOTANDO A RODA-VIVA
Editado e Publicado em 12-04-18

Doleiro
Macumbeiro
e
Amante.

Anarquista
Roqueiro
e
Vaqueiro.

Embrama o vento
Roda o cata-vento
Abre o quebra vento
E senta no assento.
Pensa no passado
Ri do infortúnio
Borda o manifesto
Na pena do futuro.

Não sai na noite
Chora no açoite
vende o dote, e
Amanhece nos azeites.

É magistral a anunciação
Espetáculo de carnação
De sangue e coração
De alma em sorção.

Dessa bela andrógina
de corpo agridoce.

A marcha
A roda
A vida.

O eixo
O duto
O viaduto.

e
Jesus is not dead!

Embramo o vento
Rodo o cata-vento
Abro o quebra vento
E sento no assento.
Penso no passado
Rio do infortúnio
Bordo o manifesto
Na sina do futuro.

Não saio a noite
Choro nesse açoite
Pendôo meu dote, e
Amanheço em azeites.

A madrigal composição
Escândalo na transação
Suor e atenção
Morro de excitação.

Nesse corpo andrógino
De cheiro agridoce.









Marco Mendes Di Siervuli - 26-11-2011

Publicada na Antologia de Poesias, contos e crônicas: Nossa história, Nossos Autores

Volume II - Edição Comemorativa 30 anos Scortecci

Scortecci Editora - São Paulo - SP - Brasil - 2012


Androgina tricotando a roda-viva


Copyright © - Bicas News by Navearte - Praça Rui Barbosa, 33 - Centro - Bicas - MG - CEP: 36600-000 - TEL: (32)3271-2244 - WhatsApp: (32) 98862-2244