Quinto dia de greve dos caminhoneiros segue com bloqueios em todo o país
Os caminhoneiros entraram hoje 25/05 no quinto dia de manifestações contra o preço elevado do DIESEL.

Editado/publicado em 25/05/18
Direto da Redação

A manutenção da greve dos caminhoneiros nesta sexta-feira continua afetando serviços essenciais em todo o país.

O desabastecimento de alimentos e outros produtos essenciais nas cidades trouxe ansiedade aos brasileiros, que temem ver prateleiras de supermercados vazias, hospitais sem equipamentos e transporte público paralisado.

E nesse quinto dia da greve dos caminhoneiros, o Presidente Temer aciona forças federais para desbloquear as estradas.

Presidente afirma que governo atendeu pedidos de motoristas, mas "minoria radical" impede liberação de estradas.

Fala em utilizar "forças federais" e pede a governadores para fazer o mesmo.

O governo federal autorizou o uso de forças federais de segurança para liberar as rodovias bloqueadas pelos caminhoneiros caso as estradas não sejam liberadas pelo movimento.

Nesta sexta-feira (25), os bloqueios seguiram em todos os estados, e o governo decidiu, após reunião com ministros, endurecer o discurso.

Em pronunciamento, Temer afirmou que atendeu as cerca de 12 reivindicações dos caminhoneiros, e que estes se comprometeram a encerrar a paralisação, mas, segundo ele, "uma minoria radical" vem impedindo a liberação das estradas.

Pronunciamento

Quero anunciar um plano de segurança imeadiato para acionar as forças federais de segurança para desbloquear as estradas e estou solicitando aos governadores que façam o mesmo. Não vamos permitir que a população fique sem os gêneros de primeira necessidade, que os hospitais fiquem sem insumos para salvar vidas e crianças fiquem sem escolas. Quem bloqueia estradas de maneira radical será responsabilizado.

A Associação Brasileira dos Caminhoneiros - Abcam

Após o pronunciamento do presidente da República, Michel Temer, no início da tarde desta sexta-feira, 25, a Associação Brasileira dos Caminhoneiros – Abcam, preocupada com a segurança dos caminhoneiros envolvidos, vem publicamente pedir que retirem as interdições nas rodovias, mas, mantendo as manifestações de forma pacífica, sem obstrução das vias.

Hoje pela manhã a associação divulgou nota na qual afirma que, ao contrário de outras entidades, "que se dizem representantes da categoria, a Abcam, não trairá os caminhoneiros". "Continuaremos firmes com pedido inicial: isenção da alíquota PIS/Cofins sobre o diesel, publicada no Diário Oficial da União", diz o texto.

Direto da Redação: Edição e Fotos MAMS/Bicas News


Copyright © 2016 - Bicas News by Navearte - Praça Rui Barbosa, 33 - Centro - Bicas - MG - CEP: 36600-000 - TEL: (32)3271-2244 - WhatsApp: (32) 98862-2244